Moldura da Página não estando visível
Caso não esteja visível a MOLDURA desta Página, com o MENU na lateral esquerda, clique para entrada e acesso.
Sociedade da Igreja de São Jorge e Cemitério Britânico
Seminário Internacional PRESENÇA BRITÂNICA NA BAHIA, em Salvador, entre 3 e 8.nov.2008.
Chegada da Família Real Portuguesa ao Brasil - 1808I - Primeiro contato, com o Brasil
Primeiro contato, com o Brasil, da Esquadra Real conduzindo a Família Real Portuguesa e acontecimentos na Bahia, em 1808.
Colóquio “1808-2008", em Praia do Forte
Grupo Espírito Santo promove na Bahia Colóquio “1808-2008 e o futuro das relações econômicas Portugal/Brasil".
Chegada da Família Real Portuguesa ao Brasil - 1808 Instit. Geográfico e Histórico da Bahia
Comemorações dos 200 Anos da vinda da Corte Portuguesa para o Brasil:
Início: 15-AGO-2007...Simpósio: 13-MAI-2008
Ministério da Fazenda - GRA-RJ, SPOA
Bicentenário do Erário Régio, atual Ministério da Fazenda. Exposição, Palestra e Eventos, no Palácio da Fazenda, RJ. out-nov.2008
Rio e Lisboa - Colóquio
Construções de um Império - Câmara Municipal de Lisboa (PT) e Prefeitura do Rio de Janeiro (BR), em 29
de novembro de 2007.
Marinha do Brasil - DPHCM
Primeiro congresso do ICOMAM na América do Sul, participando profissionais de museus militares e de armas de todo o mundo. RJ, ago.2008.
Programa comemorativo em Lisboa Viagem da Família Real 1807-1808, de 24 a 30 de novembro de 2007 - Destaques.Escola de Comando e Estado-Maior do Exército - ECEME
IV Ciclo História Militar e Liderança, de 11 a 13 de agosto de 2008.
Memórias que vão além do oceano
Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro nas comemorações 1808-2008
Acad de Hist. Militar Terrestre do Brasil
200 Anos da Chegada do Corpo de Fuzileiros Navais ao Brasil, dia 6 de agosto de 2008.
Museu Naval: Rio de Janeiro - Brasil
A Nau portuguesa Martim de Freitas foi incorporada à Marinha brasileira em 1822 e renomeada Dom Pedro I.
Instituto Genealógico da Bahia
11 de junho de 2008: Durante o ano das comemorações do bicentenário da vinda da Corte Portuguesa para o Brasil.
Carnaval do Rio de Janeiro
Escolas de Samba, homenageiam os 200 Anos da vinda da Corte Portuguesa para o Brasil.
Instituto Histórico e Geográfico do RJ
Curso D. João e a Cidade do Rio de Janeiro 1808 - 2008. Dias 3, 4, 5 e 6 de junho de 2008.
Arquivo Nacional, no Rio de Janeiro
Exposição "Genealogia e Heráldica", organizada em Portugal pelos Arquivos da Torre do Tombo. RJ, dia 6 de março de 2008.
Chegada da Família Real Portuguesa ao Brasil - 1808Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro
Colóquio Luso-Brasileiro Bicentenário da Transferência da Corte Portuguesa Para o Brasil, 19-22.mai.2008. Simp.IH's - 21-23.out.2008
Museu Histórico Nacional
8 de março a 8 de junho - Eposição internacional "Um Novo Mundo, Um Novo Império: A Corte Portuguesa no Brasil".
Real Gabinete Português de Leitura
200 Anos da Chegada da Corte Portuguesa.
Solenid.:
8-Mar-2007.Curso: 4-25-JUN-2008
4º Colóquio do PPRLB: 17-19-SET-2008
    
Corte Portuguesa no Brasil
Comemorações 1808 - 2008 (Brasil)

  
2008 Out 21-23
 Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro - Rio de Janeiro
 
IV Colóquio dos
Institutos Históricos Brasileiros
no Rio de Janeiro.
 
Fotos do Colóquio
FOTOS DO EVENTO
: Clique sobre a imagem acima..
Informações:
 
< http://www.ihgb.org.br/atividade2.php >

  
2008 Out 06-11
 Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro
nas comemorações 1808-2008
 







LINK
:


"Corte nos Trópicos"
UTV (16-NET)

Clique na Imagem ao lado
 


  
2008 Set 17-19
 Real Gabinete Português de Leitura - Rio de Janeiro
 
4º COLÓQUIO do PPRLB
"Relações Luso-Brasileiras: D. João VI e o Oitocentismo"
 
 
....Datas: 17, 18 e 19 de setembro de 2008
....Locais de realização: Real Gabinete Português de Leitura do Rio de Janeiro (R. Luís de Camões, 30)
.... ....e Liceu Literário Português (Largo da Carioca) ..
Informações:
 
< http://www.realgabinete.com.br/# >

  
2008 Set - 10, 15
 Ministério da Fazenda - 200 Anos
Palácio da Fazenda, Rio de Janeiro - RJ
 
Bicentenário do Erário Régio
 Chegando a Corte Portuguesa a Salvador, o Príncipe Regente D. João promulgou no dia 28 de janeiro de 1808 o Decreto de Abertura dos Portos do Brasil ao comércio direto com todas as nações amigas e regulamentou as Alfândegas, existentes desde o século XVI, o que constituiu um dos momentos mais importantes de afirmação do Brasil como Nação. Já no Rio de Janeiro, pelo Alvará de 28 de junho de 1808, foi instalado o Erário Régio e o Conselho da Fazenda do Estado do Brasil.
 
....Informações:........Portal MF200anos < http://200anos.fazenda.gov.br/ >
 
 PALESTRA e EXPOSIÇÕES
Das Origens do Brasil ao Erário Régio
 
....PALESTRA: 10 de setembro de 2008, às 14:30 h, no auditório do Palácio da Fazenda - RJ.
....EXPOSIÇÕES: 15/09/08 a 10/10/08, no Palácio da Fazenda - Rio de Janeiro.
 Palestra e Exposições no Palácio da Fazenda, no Rio de Janeiro
INFORMAÇÕES SOBRE O EVENTO: Clique sobre a imagem acima.

  
2008 Ago 25-29
 Marinha do Brasil
Diretoria do Patrimônio Histórico e Cultural da Marinha
 
Primeiro congresso do ICOMAM na América do Sul
  Primeiro Congresso do ICOMAN na América do Sul
 
........Datas: 25, 26, 27, 28 e 29 de agosto de 2008
........Informações: Telefone: (55) (21) 2524-9199 / fax (55) (21) 2533-6696;
 

 
O Poder Naval na Formação do Brasil
  
2008 Ago 11-13
 Escola de Comando e Estado-Maior do Exército - ECEME
Rio de Janeiro - RJ
 
IV Ciclo História Militar e Liderança
 
ECEME - IV Ciclo de História Militar e Liderança
LINK: Clique sobre a imagem acima
 
....Datas: 11, 12 e 13 de agosto de 2008
....Local de realização: ECEME - Praça General Tibúrcio, 125 Praia Vermelha - Urca Rio de Janeiro - RJ
 

  
2008 Jun 11
 Instituto Genealógico da Bahia - Salvador, Bahia
 
.
 
 
 

  
2008 Jun 4-25
 Real Gabinete Português de Leitura - Rio de Janeiro
 
Curso: LIVROS E LEITURAS NO BRASIL E EM PORTUGAL
 
 
Informações:
 
< http://www.realgabinete.com.br/htm/ccursos.htm >

  
2008 Jun 3-6
 Instituto Histórico Geográfico do Rio de Janeiro
 
Curso, dias 3, 4, 5 e 6 de junho de 2008
D. João e a Cidade do Rio de Janeiro 1808 - 2008
 
Informações:
 
< http://www.ihgrj.org.br/ >

  
2008 Mai 29
"Mostra de Armamento" do Navio de Desembarque de Carros de Combate ”Garcia D'Avila"

O Navio será incorporado à Armada, no dia 29 de maio de 2008, sendo entregue ao Setor do Comando de Operações Navais na mesma data.
INFORMAÇÕES E FOTOS: Clique sobre a imagem acima.

  
2008 Mai 19-22
 Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro - Rio de Janeiro
 
Colóquio Luso-Brasileiro
Bicentenário da Transferência da
Corte Portuguesa Para o Brasil
 
Informações:
 
< http://www.ihgb.org.br/atividade2.php >

  
2008 Mai 13-16
 Instituto Geográfico e Histórico da Bahia - IGHB
Salvador, Bahia
 
Simpósio Internacional
A Família Real na Bahia - 1808-2008
 
PROGRAMAÇÃO OFICIAL:
Clique na imagem acima

Simpósio relata história da Família Real na Bahia, no IGHB
(FONTE: Rádio Metrópole: em 14.mai.2008
<.http://www.radiocidade.com.br/interna_texto.php?local=1&id=VGxSQmQwMVVVVFZPYWtrOQ== >)

 Dia 15 de maio de 2008 (quinta-feira) às 14 horas
.Mesa: FAMÍLIA E SOCIEDADE
 
- Afinal, quantas pessoas vieram com a côrte e qual o destino das suas famílias ?
Carlos Eduardo Almeida Barata - Presidente do Colégio Brasileiro de Genealogia
- Cotidiano, vida familiar e privada na Bahia na época joanina

Álvaro Pinto Dantas de Carvalho Jr. - Presidente do Instituto Genealógico da Bahia
- Família e sociedade na abertura dos portos ao comércio internacional do Brasil
Christovão Dias de Avila Pires Jr. - Presidente do Centro de Pesquisa do Castelo da Torre
 
(FONTE: Instituto Geográfico e Histórico da Bahia - IGHB < http://www.ighb.org.br/ >, em 05.mai.2008)
(FONTE: http://www.embaixada-portugal-brasil.blogspot.com/: em 14.mai.2008)

Do Simpósio Internacional "A Família Real na Bahia",
no IGHB, destacamos algumas informações inéditas ...
LINK: Clique na imagem acima para ler o Artigo, na íntegra.
(FONTE: BAHIAJÁ, Tasso Franco: em 23.mai.2008)
 
LINK: Clique na imagem acima para ler o Artigo, na íntegra.
(FONTE: Crônicas da Bahia - Tasso Franco:
<
http://www.cronicasdabahia.com.br/cronica.php?idCronica=265 >em 05.jun.2008)

  
2008 Mai 10-24
  Museu Histórico do Exército e Forte de Copacabana - RJ
Federação das Academias de Letras e Artes do Estado do Rio de Janeiro
Casa de Portugal de Petrópolis - RJ
  
 
 
.(CLIQUE NA IMAGEM PARA VER AMPLIADA)

  
2008 Mai 10
  Museu Histórico do Exército e Forte de Copacabana
  
 
 

Clique na imagem para ver as fotos
 
 
 
.(FONTE: http://www.fortedecopacabana.com/modules/extcal/event.php?event=61/ >, em 07.mai.2008)

 
2008 Abr 15
 Câmara Portuguesa de Comércio e Indústria
do Rio de Janeiro – CPCIRJ
 200 Anos de Comércio Exterior do Brasil (ENCOMEX)
 
A Câmara Portuguesa do Rio de Janeiro participará do 124º ENCOMEX 25/03/2008 Os Encontros de Comércio Exterior – ENCOMEX consistem em um projeto desenvolvido pela Secretaria de Comércio Exterior – SECEX do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior – MDIC, com o intuito de estimular maior participação do empresariado brasileiro, em particular do micro e pequeno, no contexto internacional. Dentre conceituadas instituições apoiadoras, o 124º ENCOMEX contará com a participação da Câmara Portuguesa de Comércio e Indústria do Rio de Janeiro – CPCIRJ. Na ocasião será ministrada pelo Dr. Marcelo Henriques de Brito, Conselheiro da CPCIRJ e sócio da Probatus Consultoria, a palestra “Exportação para Portugal”.
Palestra do Dr. Marcelo Henriques de Brito
Exportação para Portugal
Palestra do Dr. Marcelo Henriques de Brito, Conselheiro da CPCIRJ.
 
.(FONTE: < http://www.camaraportuguesa.com.br/ >, em14.abr.2008)
 
.(FONTE: < http://www.brasilportugal.org.br/rj/content.php?sec=21&ctg=noticias >, em14.abr.2008)
 
.(FONTE: < www.encomex.desenvolvimento.gov.br >, em14.abr.2008)

 
2008 Mar 17
  Associação Brasileira de Telecomunicações - TELECOM
Rio de Janeiro
 D. Pedro II, o precursor das Telecomunicações no Brasil
 L'EXPOSITION UNIVERSELLE
PHILADELPHIA 1876



Transmetteur du telégaphe parlant -
Teléphone de M. Bell
Sa Majesté l'Empereur du Bresil D. Pedro II
a Mr. Bell à Philadelphia.
A Associação Brasileira de Telecomunicações (TELECOM) promoveu no último dia 17 de março, almoço em homenagem aos 200 anos da chegada da Família Real Portuguesa ao Brasil, que marcam também o início da história das telecomunicações no país.

Graças a D. Pedro II que o Brasil se tornou um dos quatro primeiros países no mundo a ter telefone (junto aos EUA, Inglaterra e França).

Após participar de uma exposição na Filadélfia (EUA), onde se encontrou com Graham Bell, Dom Pedro II trouxe a 1ª linha telefônica ligando o Paço Imperial (Praça XV) ao Palácio da Quinta da Boa Vista (residência do imperador).

O almoço aconteceu na sede da Associação Comercial do Rio de Janeiro - ACRJ, no Centro do Rio.

Rio de Janeiro, RJ, 17 de março de 2008.
 
.(FONTE: < http://www.telecom.org.br/ >, em 20.mar.2008)
 
.(FONTE: < http://embaixada-portugal-brasil.blogspot.com/2008/03/associao-brasileira-de-telecomunicaes.html >, em 20.mar.2008)
 
.(FONTE: Exposição Universal PHILADELPHIA 1876 < Memorial Visconde de Mauá >, em 13.mar.2008)

 
2008 Mar 10
  Associação Comercial da Bahia e
Biblioteca Nacional de Lisboa - Salvador, Bahia
Livro: Abertura dos portos – 200 anos
.
Foi lançado no dia 10 de maço, na Associação Comercial da Bahia, em Salvador, o livro Abertura dos portos – 200 anos, no qual o professor e historiador português Jorge Couto, diretor da Biblioteca Nacional de Portugal, e os escritores baianos Francisco Viana e Luiz Walter Coelho Filho apresentam diferentes pontos de vista sobre a vinda de D. João VI para o Brasil e suas consequências.

Ao jornalista e escritor baiano Francisco Viana coube puxar o fio dos acontecimentos para escrever o primeiro capítulo, Os portos e o Brasil: do século XIX aos dias atuais, com foco no processo histórico. O segundo capítulo, A coroa portuguesa e a abertura dos portos no Brasil, é do professor e historiador português Jorge Couto, diretor-geral da Biblioteca Nacional de Portugal. O terceiro e último, A organização do sistema portuário brasileiro, ficou a cargo do advogado e escritor baiano Luiz Walter Coelho Filho.

Salvador, Bahia, 10 de março de 2008.

Leia em A Tarde.
..(FONTE: < http://embaixada-portugal-brasil.blogspot.com/2008/03/livro-asnalisa-o-que-mudou-no-brasil.html >, em 10.mar.2008)

 

 
 
2008 Março
  Final da visita de quatro dias do Presidente português
ao Brasil - Rio de Janeiro
.
.
Para o Presidente português, Aníbal Cavaco Silva, as celebrações dos 200 anos da chegada da família real ao Rio de Janeiro não foram apenas uma manifestação nostálgica, tendo antes contribuído para o aumento do interesse dos brasileiros por Portugal e dos portugueses pelo Brasil.

As celebrações, disse Cavaco Silva no final da visita de quatro dias ao Brasil a convite do seu homólogo Luiz Inácio Lula da Silva, foram “inspiração para um projecto de futuro com mais cooperação bilateral". O chefe do Estado português espera também um aumento da parceria entre os dois países em questões globais.
.(FONTE: < http://embaixada-portugal-brasil.blogspot.com/2008/03/mais-cooperao-bilateral-espera-cavaco.html >, em 10.mar.2008)

 
2008 Mar 08
  Real Gabinete Português de Leitura - Rio de Janeiro
.
 
 
 
  
 
In:"Convite". (LINK Real Gabinete Português de Leitura: < http://www.realgabinete.com.br/ >)
   

Presidente de Portugal condecorou Presidente do Brasil

O Presidente da República de Portugal condecorou o seu homólogo brasileiro durante a visita efectuada ao Brasil.

Lula da Silva foi condecorado por Cavaco Silva com a Grã-Cruz com Colar da Ordem Militar da Torre e Espada, do Valor, Lealdade e Mérito, criada por D. João VI após a sua chegada ao Rio de Janeiro, em1808.
  
 
Cavaco Silva e Lula visitam símbolo da imigração portuguesa
28 | 02 | 2008 18.20h

Os presidentes do Brasil, Lula da Silva, e de Portugal, Aníbal Cavaco Silva, vão visitar o Real Gabinete de Leitura do Rio de Janeiro, símbolo da imigração portuguesa, no dia 8 de Março.

O responsável pela instituição, António Gomes da Costa, disse hoje à Agência Lusa que os dois presidentes participarão de uma sessão solene e do descerramento de uma placa comemorativa aos 200 anos da chegada da corte portuguesa ao Brasil.

Lula da Silva receberá igualmente o título "Laurel de Gratidão", galardão máximo do Gabinete Português de Leitura, oferecido também a Cavaco Silva, em 1993, então como primeiro-ministro de Portugal.

«Há uma certa tradição que os presidentes dos dois países visitem o Gabinete Português de Leitura, símbolo maior da comunidade portuguesa no Brasil, sempre que possível», disse Gomes da Costa.

O responsável avançou ainda que, durante a sessão solene, será assinado um protocolo de cooperação na área da investigação científica entre a Universidade de Coimbra e instituições brasileiras de ensino superior.

A visita de Cavaco Silva ao Gabinete Português de Leitura insere-se na deslocação do Presidente português ao Brasil, entre 6 e 9 de Março, por ocasião das comemorações dos 200 anos da chegada da Corte portuguesa ao Rio de Janeiro.

Durante a estada, o presidente português tem previsto um encontro com o seu homólogo brasileiro e participa em vários eventos comemorativos.

No domingo, dia 9, Cavaco Silva oferece uma recepção aos representantes das Comunidades Portuguesas e Luso-Brasileiras, no Consulado-geral de Portugal, no Rio de Janeiro.

(FONTE: O Destak < http://www.destak.pt/artigos.php?art=8486/ > , em 6.mar.2008)

  
2008 Mar 07
 Museu Histórico Nacional - Rio de Janeiro
 
O Museu Histórico Nacional estará realizando de 8 de março a 8 de junho de 2008 a exposição internacional "Um Novo Mundo, Um Novo Império: A Corte Portuguesa no Brasil", patrocinada pela Fundação Calouste Gulbenkian e com o apoio da TAP, como parte das comemorações dos 200 anos da chegada da família real portuguesa ao Brasil. Esta é a única exposição prevista na agenda de eventos do Rio de Janeiro que enfatizará os aspectos econômicos, políticos e culturais da vinda da família real portuguesa, dando a oportunidade aos brasileiros de conhecerem melhor o contexto histórico que cercou D. João VI, o primeiro monarca europeu a atravessar o oceano Atlântico e o responsável pelo estabelecimento da sede do maior império das Américas, entrelaçando para sempre a história do Brasil e de Portugal.
 
(FONTE: < http://www.museuhistoriconacional.com.br/ > , em 6.mar.2008)
(FONTE: < http://embaixada-portugal-brasil.blogspot.com/2008/03/exposio-portuguesa-traz-documentos.html >, em 20.mar.2008)

  
2008 Mar 06
 Teatro Municipal do Rio de Janeiro
Presidente português oferece espectáculo ao Rio de Janeiro
 
 
 
.O Presidente da República portuguesa, Professor Aníbal Cavaco Silva, é o anfitrião de um espectáculo com a cantora Teresa Salgueiro, no dia 6 de Março, no Testro Municipal, do Rio de Janeiro, para convidados brasileiros.
 
 
.(FONTE: < http://embaixada-portugal-brasil.blogspot.com/2008/03/presidente-portugus-oferece-espectculo.html >, em 9.mar.2008)

  
2008 Mar 06
 Arquivo Nacional do Brasil - Rio de Janeiro
 Genealogia e Heráldica

.Exposição portuguesa traz documentos inéditos ao Brasil

A exposição "Genealogia e Heráldica" abre hoje ao público no Arquivo Nacional do Brasil, no Rio de Janeiro.

A mostra, organizada em Portugal pelos Arquivos da Torre do Tombo, inclui 54 documentos originais, alguns agora expostos pela primeira vez no Brasil. Entre eles, a carta de elevação do Brasil à categoria de Reino Unido ao de Portugal e Algarves, de 1815, e o Tratado de Paz e Amizade, assinado em 1825, que reconheceu a independência do Brasil.
..(FONTE: < http://embaixada-portugal-brasil.blogspot.com/2008/03/exposio-portuguesa-traz-documentos.html >, em 6.mar.2008)

  
2008 Mar 06
 Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro
nas comemorações 1808-2008
 
 




Memórias que vão além do oceano


Pegando carona na comemoração dos 200 anos da chegada da Corte Portuguesa ao Brasil, o JORNAL DA PUC foi atrás de alguns descendentes da antiga nobreza brasileira. Parentes de Dom João VI, Visconde de Mauá e Barão da Torre, todos com alguma ligação com a PUC-Rio, contam curiosidades e lembranças de uma História recente.

Página 7.


Herdeiros de um nobre legado
Por: Carol Vaisman e Julia Affonso / Fotos: Felipe Corrêa

Publicada em: 06/03/2008

Clique na imagem ao lado para o
LINK do Jornal da PUC, com a reportagem

  
2008 Mar 05
 Academia Cearense de Ciências, Letras e Artes
do Rio de Janeiro
 
 
Fotos e Texto completo
Clique na imagem para ver as fotos
e o texto completo da Pelestra




Clique na imagem para ver
o Boletim 267
(em PDF)
 
...................PROGRAMAÇÃO 2008
............Academia Cearense de Letras e Artes do Brasil

Presidente - Luiz Osair de Medeiros

Data: 5 de Março de 2008 às 16:00 horas

Local: Auditório da CONFALB
Rua Teixeira de Freitas nº 5 - 3º andar

Em comemoração aos 200 Anos da Chegada da Família Real ao Brasil, será realizada no dia 5 de março uma reunião literária, na sede da Confederação das Academias de Letras do Brasil - CONFALB, às 16:00 horas, com a palestra proferida pela Acadêmica D. Maria Gláudia Férrer Mamede "200 anos da chegada da Família Real Portuguesa no Brasil e o Ceará na época do Império".
Na ocasião a Academia Cearense terá a grande honra de agraciar o Dr. Eduardo André Chaves Nedehf Marquês de Viana, com o titulo de Honra ao Mérito pelos relevantes serviços prestados ao Brasil, ao cuidar da memória da Nação e também em homenagem ao seu tetravô o comandante que conduziu e fez escolta à Família Real Portuguesa, de Lisboa ao Rio de Janeiro em 1808, D. João Manoel de Menezes primeiro Marquês de Viana, titulo de juri e herdade recebido de D. João IV.
O Coral do UNAFISCO abrilhantará a sessão com três canções portuguesas e em seguida será servido um Porto de honra e um coquetel com iguarias portuguesas.

2008 Fev 28
 Associação Comercial do Rio de Janeiro
ESPETÁCULO BRASIL 200 ANOS
 
 
O Conselho Empresarial de Jovens Empreendedores da ACRJ, em apoio ao CE de Cultura, vai promover, nesta quinta-feira, 28 de fevereiro, às 17h45, um espetáculo teatral sobre os 200 anos da chegada da família real ao Brasil.
A peça Brasil 200 Anos é uma realização do Conselho Público-Privado de Desenvolvimento Econômico e Social dos Portos do Rio de Janeiro (Condeports) e será apresentada logo após a reunião do CONJOVE, que tem início às 15h45.
...

 

 Casa Imperial do Brasil - O Brasil Imperial
  
 
Monarquia em Ação
 MONARQUIA EM AÇÃO
 Casa Imperial do Brasil
 
(LINK)

 
O Poder Naval na Formação do Brasil
.
 MUSEU NAVAL, Rio de Janeiro - Brasil
 

O Museu Naval, situado em um prédio centenário na Rua Dom Manuel, no Centro do Rio de Janeiro, apresenta a exposição permanente “O Poder Naval na Formação do Brasil”, que ocupa sete salas do pavimento térreo. O tema destaca a participação do Poder Naval na História do Brasil, a importância que teve na formação do País e nos dias atuais. O descobrimento, a colonização e a maioria das invasões e ameaças vieram do mar. Daí a importância da História Naval brasileira, ainda tão pouco conhecida.

 O Museu Naval está localizado na Rua Dom Manuel, 15, Centro (próximo à Praça XV), Rio de Janeiro e funciona de terça a domingo, das 12h às 17h.
 
FONTE: < http://www.mar.mil.br/dphdm/ >
 
 Nau Dom Pedro I, .ex-Nau Martim de Freitas
 
 
Em setembro de 1822, a Nau portuguesa Martim de Freitas - que participou do transporte da Corte portuguesa para o Brasil - encontrava-se em reparo no Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro. Esta foi incorporada à Marinha brasileira e renomeada Dom Pedro I. Era um navio de linha, projetado para 64 canhões, mas foi armado com 73 bocas de fogo. Tornou-se a capitânia da Esquadra brasileira e arvorou o Pavilhão do Almirante Cochrane, em 21 de março de 1823.
A pintura acima, de autoria de Eduardo De Martino, retrata esta Nau.

(In: INFORMATIVO CULTURAL - Ano 2007 - n.20-2007. Diretoria do Patrimônio Histórico e Cultural da Marinha - Serviço de Documentação da Marinha. Imagem gentilmente oferecida pelo Diretor do Patrimônio Histórico e Cultural da Marinha, Vice-Almirante Armando de Senna Bittencourt, quando da visita ao Museu Naval, em 20 de fevereiro de 2008.)

 Monumento à Abertura dos Portos, no Rio de Janeiro
 
 
Prefeitura do Rio devolve Monumento à Abertura dos Portos aos cariocas.
Publicada em: 23/02/2008.
Foi inaugurada na manhã de hoje a restauração do monumento comemorativo ao centenário da Abertura dos Portos do Brasil, instalado na Glória em 1908. A solenidade teve como ponto alto a apresentação da Banda do Corpo dos Fuzileiros Navais, caracterizada com uniformes daquela época, que seguiu em desfile até a Rua Silveira Martins. A restauração, integra o calendário de ações para celebrar o bicentenário da vinda da Família Real para o Brasil.
A cerimônia contou com a presença dos membros da Comissão para as Comemorações da Chegada de D.João e da Família Real ao Rio de Janeiro, coordenada pelo embaixador Alberto da Costa e Silva. Durante a solenidade foram lançados o selo e o carimbo da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos comemorativos dos 200 anos da chegada da Família Real. Todos os membros da Comissão assinaram o livro que ficará exposto no Museu dos Correios, em Brasília.
 
(FONTE: Prefeitura do Rio de Janeiro: < http://noticiasrio.rio.rj.gov.br/index.cfm?sqncl_publicacao=7272 >)

 
Comemorações 200 Anos
Primeiro Contato com o Brasil - 1808
Entrada - HOME
 Memorial Visconde de Mauá
 


...............Nau Martim de freitas


O Diário de Bordo do Marquês de Viana

Obra publicada por seu tetraneto, para as comemorações dos 200 anos da chegada da Família Real Portuguesa ao Brasil, contendo os fac-símiles dos documentos originais, sendo que e o documento original (diário) encontra-se no Rio de Janeiro, parte do acervo do Memorial Visconde de Mauá.

(NEDEHF, Eduardo André Chaves, Marquês de Viana. O Diário de Bordo do Marquês de Viana. Rio de Janeiro - RJ, 2008. 25p. , il. I. Título.)

 

O Almirante (então CMG) D. João Manuel de Menezes, futuro Marquês de Viana, que comandou a nau Martim de Freitas e a fragata Urânia, durante o transporte da Corte portuguesa para o Brasil, com a função especial de defesa da nau capitânia que conduziu a Rainha D. Maria I e o Principe Regente D. João, de Lisboa ao Rio de Janeiro, registrou em seu pequeno diário, uma viagem que mudaria a história de duas Nações. E, em 1821, reconduziu D. João VI e sua Corte a Lisboa.

Pg. 16 - Registro do primeiro contato com o Brasil, da Esquadra Real conduzindo a Família Real portuguesa, na chegada à Bahia.

 

22 de Janeiro
9 horas e 45
minutos
matinas

A's nove horas e coarenta e cinco minutos
avistamos na costa a E 4 1/2 NE, huma torre
branca com grande fogo aceso. Era o Signal que
estávamos muy próximos da cidade da Bhaia
de Sam Salvador.

 Centro Cultural e de Pesquisas do Castelo da Torre
  
  
.
  
  
 ..
 
.
Torre de Garcia D'Avila, ou Torre de Tatuapara, ou ainda "Torre Singela de São Pedro de Rates".
Uma "torre" de defesa e sinalização, construída em 1551, obedecendo ao "Regimento de D. João III", trazido em 1549 por Tomé de Souza
, primeiro governador-geral do Brasil.
CASTELO DA TORRE DE GARCIA D'AVILA
Praia do Forte Município de Mata de São João, Litoral Norte, BAHIA BRASIL
Monumento nacional. Série: Arquitetura civil-militar. Categoria: Castelo. A Torre data de 1551.
Tombamento SPHAN sob n. 47, em FEV.1938. Extensão do tombamento em 28.SET.1981.
Principal sede da Casa da Torre....Propriedade:Fundação Garcia D'Avila.
 


 
.

 
O Exército Brasileiro nas comemorações
  
2008 Jan 27
 Exército Brasileiro participa das comemorações dos
200 Anos da Abertura dos Portos no Brasil
 

O Exército Brasileiro participou, no dia 27 de janeiro, do Desfile Naval Comemorativo ao Bicentenário de Abertura dos Portos às Nações Amigas, atividade que compõe o calendário de eventos dos 200 Anos da chegada da Família Real ao Brasil.

O Forte de Copacabana, o Forte do Leme e a Fortaleza de Santa Cruz executaram salvas de 19 tiros de canhão à passagem das embarcações da Marinha do Brasil pelo litoral da Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro.

A Abertura dos Portos às Nações Amigas foi promulgada por Carta Régia do príncipe regente de Portugal no dia 28 de janeiro de 1808, em Salvador. Foi o primeiro decreto de D. João VI no Brasil, assinado quatro dias após a chegada da Família Real, em 24 de janeiro de 1808.

Por esse documento foi autorizado o comércio com as nações amigas de Portugal, marcando o fim do Pacto Colonial que, na prática, impunha que todos os produtos das colônias passassem antes pelas alfândegas da Corte Portuguesa.

 
 
 
FONTE: < http://www.dac.ensino.eb.br/pag_combice200abport.html >
DEP - Departamento de Ensino e Pesquisa. Visitado em 28.jan.2008

 
Carnaval 2008 do Rio de Janeiro
HOMENAGENS
  
2008 Fev
 G.R.E.S. Escola de Samba Imperatriz Independente


Presidente da Escola: Luiz Pacheco Drummond
Quadra da Escola: Rua Prof. Lacê, 235 - Ramos
Tels: 2560-8037
Home Page: www.imperatrizleopoldinense.com.br
Arranjo /Regência: Jorge Cardoso (**)

"JOÃO E MARIAS"

Autores: Josimar – Di Andrade – Valtencir – Carlos Kind – Jorge Arthur
Intérprete: Preto Jóia

Maria uma princesa

Também sonhava
Um dia um príncipe encontrar
E ouviu do Rei de França
Em meio ao luxo e a bonança
Maria Antonieta tu serás
Em Portugal, outra rainha, Dona Maria
A Louca não podia governar
Delirava temendo a revolução
E entrega o reino a João
Regente assim se fez, e o imperador francês
Ordena a invasão

Ou ficam todos
Ou todos se vão
Embarcar nessa aventura
E au revoir Napoleão


Cruzaram mares
Chegaram ao Brasil
São novos ares, progresso e a transformação
Vieram as Marias, toda fidalguia, Dom João
O tempo passou, irão se casar
Duas Marias da mesma raiz
Luisa com Napoleão
E Leopoldina será nossa imperatriz
Será também nome de trem
Que passa em Ramos a nossa estação
Onde imperam Marias e Joãos

Vem brincar nesse trem amor
Que vai parar na estação do coração
Faz brilhar no céu Imperatriz
As onze estrelas do teu pavilhão

 G.R.E.S. Mocidade Indepemdente de Padre Miguel


Presidente da Escola: Paulo Clênio dos Santos Vianna
Quadra da Escola: Rua Coronel Tamarindo, 38 – Padre Miguel
Tel.: 3332-5823.
Home Page: www.mocidadeindependente.com.br
Arranjo /Regência: Jorge Cardoso (**)

O QUINTO IMPÉRIO: DE PORTUGAL AO BRASIL, UMA UTOPIA NA HISTÓRIA

Autores: Marquinho Marino – Gustavo Henrique – Igor Leal
Intérprete: Bruno Ribas

Portugal
Bendito seja... Abençoado pelo Criador
Uma utopia, um destino, um sonho místico de grandes realezas
Sonhar... Com glórias um rei desejar
E o sol volta a brilhar
Com a esperança no olhar
Mas desapareceu como um grão de areia no deserto
E encantado renasceu
Em cada ser, em cada coração
Para afastar a cobiça na busca do ideal
O Quinto Império Universal

Deixe o meu samba te levar
E a minha estrela te guiar
À Praia dos Lençóis, nas crenças do Maranhão
Tem um castelo que é do Rei Sebastião

No Rio de Janeiro aportaram caravelas
Trazendo a Familia Real
Progresso em cores combinadas
Debret retratava a transformação
Nas terras tropicais do meu Brasil
A herança, a dor... O mito ressurgiu
Eis o guerreiro sebastiano
O mais ufano dos lusitanos em verde e branco
Que traz no peito uma estrela a brilhar
De Norte a Sul desta nação
Faz a manifestação popular

Minha Mocidade guerreira
Traz a igualdade justiça e paz
Hoje o Quinto Império é brasileiro amor
Canta Mocidade canta!

 G.R.E.S. São Clemente

(LINK)
Presidente da Escola: Renato Almeida Gomes
Quadra da Escola: Av. Presidente Vargas, 3.102 – Centro
Tels.: 2223-0641 (Barracão)
Home Page: www.saoclemente.com.br
Arranjo /Regência: Alceu Maia (*)
“O CLEMENTE JOÃO VI NO RIO: A REDESCOBERTSA DO BRASIL..."

No céu brilhou
O azul cintilante refletindo a nobreza
Lisboa se enfeitou
Celebrando a união das realezas
O povo festejou
Para orgulho da Coroa Portuguesa
O reino então se mudou
Meu Rio se transformou
Num grande centro de “real” beleza
Um verdadeiro paraíso tropical

Entrada régia com florais e esculturas
O ritual do beija-mão é sem igual
O amor impera em sublime poesia
E no palácio a alegria é geral


Com os portos abertos
Surgem amigas nações
Sob o olhar fuzileiro
Adeus colônia, pois o Rio é capital
Viagens pitorescas... “colorindo” a cidade
“Pinta” a arte francesa
O aclamado Rei de Portugal
Vê chegar a hora da partida
O povo se rende na mais pura emoção
É eterno o carinho ao “clemente João”
Grande monarca luso-brasileiro
Receba a homenagem do meu Rio de Janeiro

Cerimônia na corte... “fechou geral”
Maria a Louca “arrasô” no visual
A São Clemente com requinte e fidalguia
Prepara a festa pra Família Real

 
Corte Portuguesa no Brasil
Comemorações
1807 - 2007 (Bahia)
  
2007 Dez 04
 
Gabinete Português de Leitura - Salvador da Bahia
 
Exposição Máscaras em Portugal inaugurada em Salvador
.
Um conjunto de 50 fotografias de máscaras portuguesas está em exposição no Gabinete Português de Leitura em Salvador da Bahia.

Gabinete Português de Literatura em Salvador da Bahia "A exposição Máscaras Portuguesas, que compõe a programação das comemorações dos 200 anos da chegada da Corte Real Portuguesa ao Brasil, foi inaugurada ontem (dia 3), à noite, no Gabinete Português de Leitura, na Piedade. A solenidade, à qual estiveram presentes convidados baianos e portugueses, abriu o calendário das festividades que acontecerão na cidade até o dia 8 de dezembro. A mostra resulta da pesquisa que se traduziu no livro "A Máscara em Portugal" e de um importante trabalho de campo. Do trabalho editorial foram selecionadas 50 imagens, cujas dimensões são de 50cm x 70cm, de 21 festas distintas, que representam o significado e funcionalidade das máscaras usadas no Carnaval e em outros rituais. As Máscaras Portuguesas compõem parte de uma série de peças originais, com máscaras e trajes utilizados nas celebrações festivas. De modo a informar o visitante, são utilizados textos bilíngües (português/inglês) e material promocional. As inaugurações das exposições são acompanhadas por animações ao vivo de caretas e máscaras ao som de música tradicional, com gaitas de fole e bombos. Ao mesmo tempo artesãos criam máscaras que podem ser adquiridas no local. A semana cultural está sendo promovida pela Secretaria de Relações Internacionais (Secri), Fundação Gregório de Mattos, Emtursa, secretarias de Turismo e Cultura do Estado e Fundação Pedro Calmon. As Máscaras Portuguesas ficarão expostas no Gabinete Português de Leitura até o dia 5 de janeiro de 2008, seguindo depois para o Museu Histórico do Rio de Janeiro. No evento, estiveram presentes o secretário de Relações Internacionais, Leonel Leal Neto, a assessora-chefe de Relações Internacionais do Estado, Monique Badaró, o Cônsul de Portugal, João Sabido, o diretor do Gabinete Português de Leitura, João Rodrigues, como também Hélder Ferreira, presidente da Progestur-Associação para a Promoção do Turismo Cultural Português) e Pedro Moreira, diretor da Egeac (Empresa de Gestão e Equipamentos e Animação Cultural de Lisboa).

Portal Salvador
(FONTE: <http://www.bahiaemfoco.com/noticia/2036/exposicao-mascaras-em-portugal-inaugurada-em-salvador->, em 08dez2007)

  
2007 SET
Solar do Unhão - Patrimônio Hiatórico
LINK: Clique na imagem acima para ler o Artigo, na íntegra.
(FONTE: BAHIAJÁ, Tasso Franco: em 24.set.2007)

  
2007 Ago15
 Instituto Geográfico e Histórico da Bahia - IGHB
 
IGHB dando início às comemorações
dos 200 Anos da vinda da Corte Portuguesa para o Brasil
 
Salvador, Bahia, Salão Nobre do IGHB - Presidente Prof. Consuelo Pondé de Sena
 



Jornal Voz de Portugal
!2 de julho de 2007.
António Loulé
Jornal VOZ DE PORTUGAL, de 12.jul.2007.
Click sobre as imagens para ver os textos
.
completos e as imagens.

PRIMEIRO REGISTRO DE CONTATO DA ESQUADRA REAL, CONDUZINDO A FAMÍLIA REAL PORTUGUESA, COM O BRASIL
 
Considerando a importância deste momento histórico apresentamos as informações relativas ao Primeiro Contato com o Brasil, baseadas em REGISTROS confiáveis e de reconhecido valor histórico, e registradas em DOCUMENTO PRIMÁRIO, da autoridade responsável pela segurança da nau capitânia:

REGISTRO
:
Consta da História do Brasil, de Pedro Calmon o Registro:
"A Esquadra Real apercebeu-se da proximidade da costa do Brasil, na altura da Torre de Garcia D'Avila ... . Fundeou na Bahia às 4 da tarde de 22".
(CALMON, Pedro. História do Brasil (7 volumes). Livraria José Olympio Editora, Rio de Janeiro - 1959, volume IV, na página1367, transcreve nota de Melo Morais, Corografia Histórica, I, pág.65).

DOCUMENTO PRIMÁRIO
:
Do diário do Almirante D. João Manuel de Menezes, futuro Marquês de Viana, que comandou a nau Martim de Freitas e a fragata Urânia, responsável pela defesa da nau capitânia que conduziu a Rainha D. Maria I e o Príncipe Regente D. João, de Lisboa ao Rio de Janeiro e, em 1821, reconduziu D. João VI e sua Corte a Lisboa,
consta:
"...A´s 9 horas e 45 minutos avistamos na costa a E41/2 NE, huma torre branca com grande fogo aceso"... "Era o signal que estavamos muy próximos da cidade da Bahia de Sam Salvador. 22 de Janeiro...";
(NEDEHF, Eduardo André Chaves. "Diário de Bordo do Marquês de Viana". Obra publicada por seu tetraneto, atual Marquês de Viana, para as comemorações dos 200 anos da chegada da Família Real Portuguesa ao Brasil, contendo os fac-símiles dos documentos originais, sendo que e o próprio documento original (diário) encontra-se no Rio de Janeiro, parte do acervo do Memorial Visconde de Mauá).

INÍCIO DAS COMEMORAÇÕES - NOTÍCIA NA IMPRENSA:
O Jornal Voz de Portugal, de 12 de julho de 2007 registra a palestra no Instituto Geográfico e Histórico da Bahia, realizada no dia 15 de agosto de 2007, "dando início às comemorações do bicentenário da vinda da Família Real Portuguesa ao Brasil", com o relato, dentre outros assuntos, do episódio da chegada de parte da esquadra dos navios que conduziam o então Príncipe Regente, sua Mãe a Rainha D. Maria I e a Família Real, sinalizada pelo sistema de almenaras da Torre de Garcia D'Avila à cidade do Salvador.

DIVULGAÇÃO:
No sábado, dia 18 de agosto de 2007, esta palestra, intitulada "Caramuru e Paraguaçu - Cinco Séculos de História, na Origens Européias do Brasil - 1509-2009", foi repetida no auditório da Escola São Francisco, em Praia do Forte (ambiência das ruínas do Castelo da Torre de Garcia D'Avila), situada em frente ao local de aproximação da Esquadra Real Portuguesa, assistida pela a comunidade local, autoridades e convidados. Promovida pela Frefeitura de Mata de São João e apoiada pela Associação Comercial e Trística de Praia do Forte - Turisforte, resgata o processo de formação do município, o desenvolvimento social, político e econômico, uma iniciativa, resultado do esforço da Prefeitura em resgatar as tradições culturais que definem a identidade do povo matense. (http://www.pmsj.ba.gov.br)
Estas informações foram passadas aos Institutos Históricos e Instituições Culturais, a diversos historiadores, pesquisadores e interessados nas comemorações, principalmente do Rio de Janeiro, da Bahia e de Lisboa, encontrando-se estes detalhes neste site oficial da Casa da Torre, desde agosto de 2007.
No dia 22 de janeiro de 2008 (200 anos do primeiro contato com o Brasil), na página principal foi aceso o fogo sinalizador da "Torre", com a imagem da aproximação da Esquadra Real, constando do site detalhes como a localização das "torres" intermediárias, integrantes do sistema de almenaras, estando inclusive uma foto do relógio de bolso do Comandante D. João Manuel de Menezes, futuro Marquês de Viana.

INFORMAÇÕES SOBRE A "TORRE":
Trata-se da Torre do Castelo Garcia D'Avila, ou Torre de Tatuapara, ou ainda Torre Singela de São Pedro de Rates, construção que obedeceu ao "Regimento" trazido em 1549 por Tomé de Souza, nosso primeiro governador-geral. Neste importante documento, nossa primeira Constituição, D. João III determinara, assim como às demais colônias portuguesas, a construção de "torres de defesa e sinalização", em pontos estratégicos. Coube esta missão a Garcia D'Avila, chegado com o governador, que em 1551, que, subindo o litoral atingiu o porto do Açu da Torre, ali encontrando a colina de Tatuapara, ponto estratégico, por estar localizado onde chegam as correntes marítimas que vêm do oceano, portanto, o primeiro ponto de onde são avistadas as embarcações, sendo o único local da costa, até a capital, com acesso à terra. Colocada em situação privilegiada, a "Torre" guarnecia os caminhos marítimos ao norte da capital, enquanto servia de atalaia ao tráfego marítimo, fiscalizando o movimento de embarcações que demandavam ao porto da Bahia, através do sistema de semáforo, que ali já funcionava desde os tempos das invasões holandesas. Em 1668, resolvera o Governo Geral estabelecer, oficialmente, um sistema de avisos entre as povoações litorâneas. O então Morgado da Torre, Garcia D'Avila 2o, encarregou-se dele, combinando os fachos (almenaras) de sinalização de seu baluarte, com um segundo facho na aldeia jesuítica de São João - hoje Jacuípe, o terceiro na aldeia do Espírito Santo - hoje Vila Abrantes, o quarto em Itapoã e o quinto em Rio Vermelho, já visível da fortaleza de Santo Antônio da Barra, sendo a capital avisada da aproximação de navios, invasores e piratas. Segundo registros históricos, os regimentos que eram dados aos capitães de navio que patrulhavam a costa passaram a nomear a Torre, por baliza de sua navegação.
Esta "Torre", discutida e debatida pelos mais respeitados pesquisadores e historiadores, somente no ano de 1999 conseguimos desvendar seus detalhes, complementados por um relatório de historiadores e autoridades do governo, datado de 1919, contendo um desenho detalhado, mostrando e dando a localização da sua ruína, na época com a altura de dois andares, imagem que se encontra neste site, desde aquele ano de 1999 (HISTÖRIA). ......
.....Christovão.de.Avila
 
Desenho da ruína da Torre, feito in loco, em 1919Acervo do CCPCTorre
Bicentenário da transferência da Corte Portuguesa para o Rio de Janeiro
.
NOVEMBRO DE 2007 - LISBOA, PT
DESTAQUES
 Câmara Minicipal de Lisboa (PT) e Prefeitura do Rio de Janeiro (BR)
  
2007 Nov 29
 
 
 
 
 
 
 
.(FONTE: < http://www.cm-lisboa.pt/?id_item=15177&id_categoria=12 > , em 20.mar.2008)

Viagem da Família Real Portuguesa
para o Brasil 1807-1808

.
NOVEMBRO DE 2007 - LISBOA, PT
 
FEV.2008
 
 
  
(< http://www.marinha.pt/extra/revista/ra_fev2008/capag.html >, em 22fev2008)
REVISTADAARMADA fev2008-Nº416
  
  
  
  
  

 Da Marinha de Portugal Forma-se uma Marinha para o Brasil, 1807-1823
 
Armando de Senna Bittencourt*
 

Ao projetar a exposição de longo prazo do Museu Naval no Rio de Janeiro, evitou-se, propositalmente, que o tema se limitasse à História da Marinha do Brasil. Ela não existia antes de 7 de setembro de 1822, data da Proclamação da Independência pelo Príncipe D. Pedro. Buscar sua origem em 1614, quando uma flotilha de caravelas e caravelões partiu de Pernambuco para combater e expulsar os franceses que haviam se estabelecido no Maranhão, sob o comando de Jerônimo de Albuquerque, nascido no Brasil, filho de uma mulher indígena com um português, é, no mínimo, risível. Não existia a nacionalidade brasileira, nessa época, e o acontecimento não teve continuidade que o justifique como marco inicial.

Considera-se que uma Marinha é um serviço permanente de defesa de um país, que conta com navios de guerra tripulados por profissionais e que é apoiado por uma infra-estrutura técnica e administrativa. Muitas das Marinhas européias somente se organizaram como tal no século XVIII, ou até mais tarde.

No Rio de Janeiro, escolheu-se como tema do Museu Naval “O Poder Naval na Formação do Brasil”. Assim, enfatiza-se toda a importância do poder naval – seja português, espanhol ou brasileiro –, para que se formasse, a partir de 1500, e mantivesse unido o que deu origem ao Brasil; um grande país, rico em recursos naturais, território de uma nação em que se fala um único idioma, o português. Essa é a principal herança que os brasileiros receberam de seus antepassados, e ela tem que ser lembrada e focalizada na História do Brasil.

Esse tema possibilita também que se fuja da possibilidade de apresentar a Marinha brasileira como algo que nasceu jovem, em 1822. Ela se formou de parte da Marinha de Portugal e quando foi criada já era adulta e cultuava tradições; a maioria de seus navios e pessoal de todos os postos era de origem portuguesa; já existiam há séculos, arsenais capazes de construir e manter navios no Brasil; a Escola Naval que lá está, no Rio de Janeiro, é a Academia Real de Guardas-Marinha – que se originou da Companhia Real de Guardas-Marinha, fundada em 1782 –, que saiu de Portugal em 1807 com D.João e lá ficou; e os Fuzileiros Navais brasileiros, que comemorarão seus 200 anos em 2008, por considerarem sua criação como a data em que desembarcaram no Brasil com D. João, como Brigada Real da Marinha, já serviam nos navios portugueses há vários anos e tinham pisado terras brasileiras diversas vezes antes.".

 
(*) BITTENCOURT, Armando de Senna, Vice-Almirante Diretor do Patrimônio Histórico e Cultural da Marinha do Brasil.

.
TEXTO COMPLETO (em PDF)

 
JAN.2008
 
 
  
Cumpre-se neste mês de Novembro o bicentenário da partida para o Brasil da Família Real, a bordo das principais Unidades Navais Portuguesas, que transportaram igualmente diversos organismos do País, nomeadamente o Real Colégio Militar, a Companhia Real de Guardas-Marinhas e a Brigada Real de Marinha com a sua banda. Este acontecimento, pela transposição da sede de poder e das principais instituições, permitiu sedimentar a Nação Brasileira, estando na origem das relações fraternas entre os dois países, persistindo inúmeras instituições com a mesma origem.
(< http://www.marinha.pt/extra/revista/ra_jan2008/capag.html >, em 21fev2008)
REVISTADAARMADA jan2008-Nº415

  
2007 Nov 24-30
 
 
 

 De Cabral a D. João VI - A expansão do Brasil
 
"Na ocasião em que escrevo, mais de um mês nos separa do dia 27 de Novembro. Nesta data, em 1807, a Família Real portuguesa, nobreza e boa parte das instituições governamentais embarcaram, no cais de Belém, na enorme frota – oito naus de linha, quatro fragatas, três brigues, uma escuna e grande número de navios mercantes – que, desde setembro, vinha sendo aprontada para, caso se tornasse indispensável, transportar para o Brasil o governo luso. Dois dias após, com vento de feição, fez-se ela ao mar, trazendo a bordo mais de 10.000 pessoas.
... Os vários ciclos econômicos ocorridos no Brasil desde o início da colonização, pau-brasil, cana de açúcar, ouro, diamantes deram lugar ao surgimento de notáveis artistas, notadamente arquitetos, escultores, pintores e musicistas, que hoje causam espanto a quem visita as chamadas cidades históricas espalhadas por todo o nosso território, sendo elas permanente desmentido de que toda a riqueza produzida no Brasil fora transferida para a Metrópole antes da chegada da Família Real, para nela dar grandeza e monumentalidade aos palácios e igrejas. As muitas obras primas do Barroco e Rococó cabalmente comprovam o destemor, a hercúle a resistência, a tenacidade e o amor à cultura daqueles heróicos luso-brasileiros que legaram à atual geração uma das maiores nações do Orbe.”


(GUEDES, Max Justo, Almirante Marinha do Brasil. De Cabral a D. João VI - A expansão do Brasil. Revista da Armada (PT), Novembro 2007. Nº 413. <http://www.marinha.pt/extra/revista/ra_nov2007/pag_14.html>, em 11dez2007)
REVISTADAARMADA nov2007-Nº413.

 Corte portuguesa segue para o Brasil
 
Em 29 de novembro de 1807, há 200 anos, toda a Corte Portuguesa partia de Lisboa com destino ao Brasil. Segundo historiadores, foi um acontecimento inédito que transformou a vida do Rio de Janeiro.

Rio se transforma em sede do Império Português

De acordo com Arno Wheling, presidente do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, a capital da colônia foi transformada em sede do Império Português com a chegada da Corte. Pela primeira vez, o Brasil teve um governo centralizado numa cidade com ares de metrópole do mundo. “A vinda de Dom João, a transferência da Corte e a instalação no Rio de Janeiro dão um novo estatuto político ao Rio. Essa centralização efetivamente começa a funcionar não em 1822, com a independência, mas em 1808, com a instalação da Corte aqui no Rio de Janeiro” disse Wheling.


(WEHLING, Arno. Presidente do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro. Globo.com - / rio de janeiro / 200 anos da chegada da corte ao Brasil. <http://g1.globo.com/Noticias/Rio/0,,MUL198736-5606,00.html>, em 11jan2008)

 A emoção de todos aqueles que viveram esse momento histórico
 
 
"Há uma gravura (veja ao lado) que é particularmente significativa desse ponto de vista e que reflete e expressa a emoção de todos aqueles que viveram esse momento histórico. A começar pelo príncipe Dom João, cuja posição de mão, cujo semblante na gravura revela simultaneamente tristeza pela partida, mas a convicção de que se tratava de uma decisão absolutamente fundamental”, observa o diretor da Biblioteca Nacional de Lisboa, Jorge Couto.





(Couto, Jorge. Brasil e América Brasil - A vinda da Família Real para o Brasil Última atualização em 03/01/2008 18:16:11. <http://www.passeiweb.com/saiba_mais/fatos_historicos/brasil_
america/vinda_da_familia_real
>, em 11dez2007)

 
Cerimónia comemorativa da partida da Família Real para o Brasil (Lisboa)
 
"Cumpre-se neste mês de Novembro o bicentenário da partida para o Brasil da Família Real, a bordo das principais Unidades Navais Portuguesas, que transportaram igualmente diversos organismos do País, nomeadamente o Real Colégio Militar, a Companhia Real de Guardas-Marinhas e a Brigada Real de Marinha com a sua banda. Este acontecimento, pela transposição da sede de poder e das principais instituições, permitiu sedimentar a Nação Brasileira, estando na origem das relações fraternas entre os dois países, persistindo inúmeras instituições com a mesma origem.
No âmbito das comemorações desta efeméride realizou-se, no passado dia 24 de Novembro, uma Cerimónia Militar, junto à Torre de Belém.
A cerimónia teve início com a integração na formatura do Bloco de Estandartes nacionais.
Presidiu a esta cerimónia o Ministro da Defesa Nacional, tendo-lhe sido prestadas, à sua chegada, as honras militares que lhe são devidas, após as quais passou revista às forças em parada.
Terminada a revista, o CMG Rodrigues Pereira, Director do Museu de Marinha, proferiu uma alocução alusiva à partida da Família Real para o Brasil."

(Revista da Armada (PT), Janeiro 2008. Nº 415. Cerimónia comemorativa da partida da Família Real para o Brasil. <http://www.marinha.pt/revista/index.asp?revista=ra_jan2008/default.html>, em 11dez2007)
REVISTADAARMADA jan2008-Nº415

 Alocução do Director do Museu de Marinha CMG J. A. Rodrigues Pereira
 
"Há duzentos anos este local assistiu à partida de uma esquadra portuguesa que transportava para o Brasil a Família Real, a Corte e algumas importantes instituições do Estado, transferindo para aquele território a capital do Reino. Esta acção foi possível porque Portugal seguira, nos anos anteriores, uma política de desenvolvimento do seu Poder Marítimo que lhe permitiu, no momento necessário utilizá-lo da forma mais conveniente para a defesa da sua soberania.
... A decisão para o embarque só foi tomada quando chegou a Lisboa, em 24 de Novembro, um exemplar do jornal francês Moniteur, enviado de Londres pelo Embaixador D. Domingos de Sousa Coutinho, em que Napoleão afirmava já que a casa de Bragança tinha deixado de reinar em Portugal. A 26 de Novembro, com o exército de Junot em Abrantes, o Governo tem conhecimento da invasão e publica um decreto onde eram expostos os motivos que levavam o Príncipe Regente a partir para o Brasil. No mesmo dia iniciou-se o embarque que se concluiu no tempo recorde de 48 horas. De notar que os preparativos secretos desta partida, com a transferência de mobiliário, arquivos, e toda a volumosa documentação necessária à gestão do Reino, haviam sido iniciados cerca de um ano antes.
... A 27 de novembro de 1807 embarcam, no cais de Belém, os membros da Família Real que iam assim distribuídos:
Nau Príncipe Real – Rainha D. Maria I, Príncipe Regente, D. João, Príncipe da Beira, D. Pedro, infante D. Miguel, infante de Espanha D. Pedro Carlos;
Nau Afonso de Albuquerque – Princesa do Brasil D. Carlota Joaquina, com suas filhas, infantas D. Maria Isabel Francisca, D. Maria da Assunção, D. Ana de Jesus e princesa da Beira infanta D. Maria Teresa;
Nau Príncipe do Brasil – princesa viúva D. Maria Francisca Benedita e infanta D. Maria Ana, ambas irmãs da Rainha;
Nau Rainha de Portugal – as filhas de D. Carlota Joaquina, infantas D. Maria Francisca de Assis e D. Isabel Maria."

(PEREIRA, José António Rodrigues, CMG. Director do Museu de Marinha (PT). Revista da Armada (PT), Cerimónia comemorativa da partida da Família Real para o Brasil. <http://www.marinha.pt/revista/index.asp?revista=ra_jan2008/default.html>, em 11dez2007)
REVISTADAARMADA jan2008-Nº415

 Discurso proferido pelo Comandante-Geral do Corpo de Fuzileiros Navais da Marinha do Brasil Almirante de Esquadra Álvaro Augusto Dias Monteiro
 
"Eu a Rainha, faço saber aos que este Alvará com força de lei virem... Assim, Dona Maria I de Portugal inicia o documento em que, em 1797, cria a Brigada Real da Marinha.
Apenas dez anos após sua criação, já tendo contudo demonstrado provas ímpares de sua lealdade, a Brigada guarneceu as naus e as embarcações de guerra da Armada Real que demandaram a imensidão do mar oceano a fim de transmigrar para o Brasil, não apenas a corte e o aparato estatal do reino português, mas, principalmente, seus bens mais preciosos: a integridade das armas e dos barões assinalados, a perpetuação de sua história, a sobrevivência de sua cultura, a manutenção de suas conquistas e o orgulho português de a ninguém submeter-se; epopéia que ainda não mereceu da História todo o reconhecimento devido.
..., como Comandante-Geral do Corpo de Fuzileiros Navais da Marinha do Brasil, sinto incomensurável orgulho, ao ver meus Fuzileiros Navais envergando o uniforme da Brigada Real da Marinha, e portando seu Estandarte o qual reproduz as cores básicas dos antigos uniformes da Armada Portuguesa: verde e amarelo; verde e escarlate; e azul e branco. Com ele ombreia altaneiro o Estandarte do Corpo de Fuzileiros Navais da Marinha do Brasil, em que o vermelho de seu pano remete ao sangue de tantos Fuzileiros Navais em quem poder não teve a morte, e o 1808, à sua chegada no Brasil."

(MONTEIRO, Álvaro Augusto Dias. Almirante de Esquadra, Comandante-Geral do Corpo de Fuzileiros Navais da Marinha do Brasil (BR). Revista da Armada (PT), Cerimónia comemorativa da partida da Família Real para o Brasil. <http://www.marinha.pt/revista/index.asp?revista=ra_jan2008/default.html>, em 11dez2007)
REVISTADAARMADA jan2008-Nº415

 Discurso proferido pelo Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada
Almirante Fernando de Melo Gomes
 
"Celebramos hoje, de forma simbólica, duzentos anos desde a partida da Família Real para o Brasil, em 1807.
Nesta ocasião, quero, em primeiro lugar, salientar o grato prazer que a Marinha Portuguesa tem em receber uma representação tão distinta e numerosa da Marinha do Brasil para, em conjunto, evocarmos um evento histórico que marca, a partir de uma raiz comum, o desenvolvimento das nossas Marinhas.
De igual modo quero agradecer a disponibilidade do Senhor Ministro da Defesa Nacional para presidir a esta cerimónia e ao Senhor Ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, senhor General CEMGFA, senhor Presidente da Comissão de Defesa, senhores Secretários de Estado, senhores Generais CEME e CEMFA e senhores Embaixadores, a fineza que fizeram em se associarem a esta comemoração.
... O regresso do Rei a Portugal, em 1821, combinado com o sentimento de emancipação vivido nas colónias americanas e já consumado nalgumas, levaram à independência através de uma quase natural sucessão dinástica, que permitiu um relacionamento fraterno, quase imediato, entre as duas Nações, e uma proximidade cultural que muito nos orgulha e que é ímpar no mundo. Na distância dos acontecimentos, poder-se-á afirmar, sem nenhuma dúvida, que o investimento na Armada durante o último quartel do século XVIII permitiu o contraste entre aquilo que é hoje o Brasil e a profusão de Estados que o cercam na América do Sul.

(GOMES, Fernando de Melo. Almirante de Esquadra, Chefe do Estado-Maior da Armada (PT). Revista da Armada (PT), Cerimónia comemorativa da partida da Família Real para o Brasil. <http://www.marinha.pt/revista/index.asp?revista=ra_jan2008/default.html>, em 11dez2007)
REVISTADAARMADA jan2008-Nº415

 A Galeota, construída em Salvador em 1808
 
 
A galeota, com 24 metros de comprimento para 11 remadores em cada bordo, levando na popa uma cabine forrada de veludo para a família Imperial, totalmente reformada, foi construída em Salvador, em 1808, por ocasião da vinda da Família Real portuguesa para o Brasil e trazida para o Rio em 1809, tendo sido usada até os primeiros governos republicanos para deslocamentos pela baía de Guanabara. Segundo o Almirante Armando de Senna Bittencourt, Diretor do Patrimônio Histórico e Cultural da Marinha do Brasil, esse modelo não tem similares em toda a América.
(BITTENCOURT, Armando de Senna, Almirante Diretor do Patrimônio Histórico e Cultural da Marinha (BR). <http://interata.squarespace.com/
jornal-de-viagem/2007/5/5/ilha-fiscal-baia-de-guanabara-rio-de-janeiro.html
>, em 11dez2007)

 A Transmigração da Família Real de Portugal 1807-1808 (Bahia)
 
"D. João ficara tão satisfeito com a atenção recebida da Marinha britânica que decidiu condecorar os principais oficiais. Um problema era o fato que todas as ordens militares eram também, religiosas; portanto só poderiam ser conferidas a Católicos. Para contornar esse impasse, resolveu reviver uma ordem não-religiosa, a Ordem da Torre e Espada originalmente instituída por D. Afonso V, em 1459. A 4 de junho de 1808, aniversário do Rei Jorge III, Sir Sidney Smith recebeu a bordo da London a Família Real. Após os brindes habituais o Príncipe Regente mandou que seu pavilhão, que fora içado a bordo da London, fosse trazido à sua presença a fim de presenteá-lo a Sir Sidney. Em seguida ordenou-o esquatelar seu brasão com as armas de Portugal para que os seus descendentes nunca esquecessem a gratidão da Família Real pelos serviços prestados nesta jornada."

(LIGHT, Kenneth H.. A Transmigração da Família Real de Portugal 1807-1808. <http://www.projetoreeducar.org.br/publicaram/aviagemde1808dosportugueses.htm>, em 11jan2008 )

 
Mostra de jóias assinala viagem da família real portuguesa
 
Uma exposição com jóias especialmente feitas por 48 designers brasileiros e portugueses vai assinalar os 200 anos da viagem da família real portuguesa, no próximo ano (2008), informaram hoje os organizadores.
A exposição, denominada «Jóias Reais - Joalharia Contemporânea Luso-Brasileira», estará patente entre 13 de Março a 18 de Maio no Museu Histórico Nacional no Rio de Janeiro, e entre 16 de Outubro a 30 de Novembro no Palácio Nacional da Ajuda, em Lisboa.
A iniciativa pretende estabelecer um intercâmbio cultural e artístico, entre os dois países, proporcionando a troca e a fusão de várias referências históricas e criativas, salientaram os organizadores num comunicado.
Cada par de artistas, um português e um brasileiro, utilizará o mesmo objecto de inspiração para produzir o seu trabalho para a exposição.
«Pretende-se, deste modo, confrontar duas épocas e duas culturas, bem como construir uma ponte, não só entre o passado e o presente, mas também entre os dois grupos de artistas representantes das duas culturas em foco nas comemorações», refere o comunicado.
Os objectos de inspiração escolhidos fazem parte do acervo do Palácio Nacional da Ajuda e do Museu Nacional de Arte Antiga em Lisboa, do Museu Histórico Nacional no Rio de Janeiro e do Museu Imperial em Petrópolis.
No Rio de Janeiro, a programação paralela ao evento incluirá uma exposição de gemas, coordenada pelo português Rui Galopim de Carvalho, que também participará na conferência «200 Anos de História das Gemas Brasileiras na Joalharia».
A programação inclui igualmente a conferência «Arte da Joalharia em Portugal» proferida por Luísa Penalva, do Museu Nacional de Arte Antiga, e os cursos «Antes, Durante e Depois» e «Momentos Partilhados», orientados pelas comissárias da exposição, Cristina Filipe e Lúcia Abdenur.

Em Lisboa, a programação paralela incluirá as conferências «A Transferência da Corte Portuguesa para o Brasil - A Sociedade em Transformação», proferida por Vera Tostes, Diretora do Museu Histórico Nacional no Rio de Janeiro, e «A Jóia na Cultura Brasileira», proferida pela especialista brasileira Ângela Andrade.


(TOSTES, Vera Bottrel. Diretora do Museu Histórico Nacional (BR-RJ). Fonte: Diário Digital / Lusa e <http://www.ramojoalheiro.com.br/noticias/interna.asp?cod=371>, em 11dez2007)
  
2001 Abr 25-27
 Núcleo de Estudos da História dos Impressos da Bahia - NEHIB
e Rede Alfredo de Carvalho - REDEALCAR
 
"Avaliando a historiografia da Imprensa brasileira nos 190 anos da primeira tipografia baiana"
 
 
Click sobre as imagens para baixar o arquivo completo, em PDF (LINK)


.Texto complrto, em PDF (<http://www.jornalismo.ufsc.br/redealcar/rumo%20ao%20bicentenario.pdf>, em 08dez2007)
 

..

Christovão de Avila
www.casadatorre.org.br



..

É permitida e estimulada a reprodução e a divulgação parcial ou integral, do conteúdo da presente Home Page, desde que mencionados os autores e as origens, reservados os direitos dos respectivos autores.

© Copyright 1989-2008

..

TERMO DE ISENÇÃO DE RESPONSABILIDADE

casadatorre.org.br não se responsabiliza pelo conteúdo e oferta de produtos e serviços contidos em qualquer site e/ou loja virtual, a ele conectado.
 
Biografia:

CCPCTorre - Presidente - Biografia