HERÁLDICA
 
Brasões de Armas
A Heráldica não ficou limitada ao âmbito estritamente familiar, ultrapassou o campo social.
Expo 200 Anos do Ministério da Fazenda
Em set/out.2008, "Das Origens do Brasil ao Erário Régio", integrando as comemorações do Bicentenário do MF, no Rio de Janeiro.
.Assoc. da Nobreza Histórica do BR
Lançada na Cidade do Salvador da Bahia de Todos os Santos, em 14.jul.2007. Foi extinta em 12.nov.2011.
Expo Paraguaçu - Katherine du Brésil
No ano França-Brasil 2005, homenageou a Índia do Brasil, batizada "Katherine du Brésil", no dia 30.jul.1528, em Saint Malo.
Primeiro Titular do Império
D. Pedro I cria o título de Barão da Torre de Garcia d'Ávila, no dia da sua coroação, 01 de dezembro de 1822
Expo no Museu da Igreja da Glória
Inaugurada em 15.dez.2002, como parte das comemorações dos 150 anos do falecimento do Visconde da Torre de Garcia d'Ávila.
Brasão da Amograça
Associação dos Moradores da Graça.
Congrega os fiéis da comunidade da Graça. Salvador. 16-III-2008.
Expo no Museu Histórico do Exército
Realizada em 1997, foi visitada pela Comissão para as Comemorações do Quinto Centenário do Descobrimento do Brasil.
Armorial Histórico - Exposições
Coleção de Brasões de Armas, de personalidades e instituições integrantes e vinculados à Casa da Torre.
Referências e pareceres oficiais
"...est probablement un des plus importants recueils, non seulement du Brésil, mais de tout le Nouveau Monde".
    

O TESOURO HERÁLDICO DE UM PAÍS
REPRESENTA A ESSÊNCIA DE UM FENÔMENO SOCIAL QUE,
TRANSPOSTO PARA O PLANO DOS SENTIMENTOS,
SE DENOMINA PÁTRIA. (Szabolcs de Vajay)


Brasões de Armas
Heráldica e Genealogia


       
     
       
       
       
     
       
ARMORIAL HISTÓRICO
da Casa da Torre de Garcia d'Ávila
(1971/2008: 175 Brasões de Armas)
 


O Brasão nasceu na Idade Média, provocado pela necessidade de disciplinar e ordenar os sinais, aparecidos para individualizar e distinguir os homens de armas, cobertos pelas armaduras metálicas, nos campos de batalha e nas justas e torneios.

No século XII, encontra-se já constituída a Heráldica - ciência e arte do Brasão - passando, pouco a pouco, as marcas pessoais dos homens de armas, a constituírem uma emblemática de família.

 


A Heráldica porém, não ficou limitada
ao âmbito estritamente familiar, ultrapassou o campo social, estendendo-se a outros setores - as ordens religiosas, os prelados, as vilas e cidades e as corporações, dando sentido de continuidade àquela célula viva e natural da Nação, fortalecendo-a e outorgando-lhe o sentido de perenidade.


Topo

Primeiro Titular do Império do Brasil
Barão, depois Visconde da Torre de Garcia d'Ávila






Brasão de Armas do
Visconde da Torre de Garcia d'Ávila

 




Arquivo Nacional, Rio de Janeiro

D. Pedro I, no dia da sua coroação (01 de dezembro de 1822), cria o título de Barão da Torre de Garcia d'Ávila para Antonio Joaquim Pires de Carvalho e Albuquerque - único título por mais de dois anos.
Na mesma data, um aviso do Ministro do Império, José Bonifácio, participa-lhe, de ordem do Monarca, a mercê, já lhe dando o tratamento de "Vossa Senhoria".
Em 12 de janeiro seguinte o Barão da Torre de Garcia d'Ávila agradeceu ao Imperador: "Nada mais me resta, Senhor, que de novo possa oferecer à Vossa Majestade Imperial, porque honra, vida e fazenda há muito dediquei à defesa da Pátria". (Arquivo Nacional, Rio de Janeiro, lata 34)
O fato de mencionar o "Coronel Comendador Antonio Joaquim" como "Senhor da Torre de Garcia d'Ávila", da qual era ainda herdeiro, suscita, no entanto, o rijo protesto de sua mãe D. Ana Maia de São José e Aragão, detentora do vínculo. (CUNHA, Rui Vieira da. Estudo da Nobreza Brasileira, Rio de Janeiro, 1996, p. 64).
Foi elevado a Visconde a 12 de outubro de 1826, com honras de Grandeza a 18 de julho de 1841.

Decreto de 01 de dezembro de 1822
"Havendo respeito aos grandes merecimentos e distintas qualidades que concorrem na pessoa do Coronel Comendador Antonio Joaquim Pires de Carvalho e Albuquerque, Senhor da Torre de Garcia d'Ávila na Província da Bahia; e aos relevantes serviços que tem prestado com a maior honra, patriotismo, decidido entusiasmo em bem do Estado e gloriosa causa da Independência e Constituição do Império; e considerando também ser a Casa tal, por sua antigüidade e nobreza que os que nela sucederem me poderão sempre servir e aos meus Augustos Sucessores tão honradamente como deles espero, e o fizeram os de quem ele descende, cuja memória Me é muito presente; E por folgar outrossim que por todos estes motivos e pela muito boa vontade que tenho de lhe fazer Mercê (sendo por certo de quem ele é) Me saberá sempre merecer, continuando a prestar à Nação iguais serviços; Me praz e Hei por bem de lhe fazer Mercê, como faço, do Título de Barão da Torre de Garcia d'Ávila, elevando por este modo o Título de Senhorio de que de tempos antigos tem gozado a sua Casa e Família. Paço em o primeiro de Dezembro de mil oitocentos e vinte dois, primeiro da Independência e do Império."
Imperador D. Pedro I
José Bonifácio de Andrada e Silva

(Arquivo Nacional, Rio de Janeiro / Graças Honoríficas)

O Armorial Histórico
Trata-se de um acervo monumental de brasões de armas, de titulares e familiares dos diversos ramos da Casa da Torre de Garcia d’Ávila, de personalidades a ela vinculadas por matrimônios e, ainda, de instituições com ligações importantes, que exprime, plasticamente, em sua herança heráldica, um rico patrimônio histórico resultante da combinação de elementos internacionais com outros nativos, considerada uma das mais importantes coleções armoriadas, não somente do Brasil, mas de todo o Novo Mundo.

História do Brasil

O Armorial rastreia capítulos da História do Brasil, através da emblemática de inúmeros dignitários e de entidades que ajudaram a faze-la, transportando-os de suas fontes informativas para uma coleção técnica e visual, pela força alegórica do equilíbrio e de suas cores, compreendendo essas fontes, lápides, livros, documentos, objetos pessoais, informações de famílias e arquivos de cultores idôneos

Originais em Pergaminho
Os originais armoriados são apresentados sobre Pergaminhos (pele de carneiro), de dimensões regulares, com esmerado acabamento e com tintas indeléveis, iluminados a ouro e prata, trazendo devidamente manuscritas as respectivas identificações. Constitui-se o Armorial Histórico de quatro coleções, que levam o nome dos patrocinadores: Coleção Gen Walter Pires, Coleção Odebrecht, Coleção Ottoni Wanderley de Araújo Pinho e Coleção Christovão de Avila.

De alcance Multissecular e Internacional, bastante numeroso, o Armorial, procura atender à dinâmica heráldica adequada às suas épocas e estilos, atrelada ao seu uso, e está embasado nas fontes supracitadas, especialmente na clicheria e descrições livrescas, de padrão resumido e universalmente em voga, obrigando a complementação das armas - praxe de heraldistas reconhecidos, de todos os quadrantes.

Dedicado aos Jovens

Veio preencher uma grande lacuna na área cultural e histórica do Novo Mundo, alem de estimular o gosto pela Heráldica e pela Genealogia, mormente entre os moços, aos quais é dedicado o Armorial.

Victor Hugo C. Lopes - Executor do Armorial

Referências Oficiais
Armorial Histórico da Casa da Torre de Garcia d'Ávila

 

 


DR. RUI VIEIRA DA CUNHA
da Académie Internationale d'Héraldique

"O Acadêmico"
.

 

Exposições do Armorial Histórico
da Casa da Torre de Garcia d'Ávila

 

 

 

 
ARMORIAL HISTÓRICO - EXPOSIÇÕES

 

2009
Das Origens do Brasil à Independência
Museu Histórico do Exército - Forte de Copacabana
Em 2009, o Museu Histórico do Exército e Forte de Copacabana relembrou os quinhentos anos da chegada de Diogo Álvares, o Caramuru, com a história da colonização do Brasil, contada através de Brasões de Armas “Caramuru 500 anos - das Origens do Brasil à Independência - o Heróico Vianense e uma Princesa Índia "Katherine du Brésil”.

A exposição reuniu brasões de armas de titulares, famílias e instituições, documentos, reproduções de telas famosas e mapas, desde as origens e a formação da família brasileira à consolidação da Independência do Brasil.

Entre as 48 peças exibidas ao público, estavam os brasões das cidades homenageadas: Viana do Castelo, São Pedro de Rates e Póvoa de Varzim, em Portugal, Saint Malo, na França, Mata de São João, nas origens de Caramuru, berço da Casa da Torre, e Salvador na Bahia, berço do Brasil, onde Caramuru fundou Vila Velha, assim como de St. Augustine, na Flórida, primeiros núcleos contínuos do Brasil e dos Estados Unidos da América.

..Exposição comemorativa dos 200 Anos do Ministério da Fazenda.. Exposição no Museu Histórico do Exército - Forte de Copacabana 2009...
 

 

2009
Caramuru 500 Anos - Nas Origens do Brasil
Castelo da Torre de Garcia d'Ávila

Tatuapara, Praia do Forte, Mata de São João, Bahia

..Exposição comemorativa dos 200 Anos do Ministério da Fazenda.. Comemorações Caramuru 500 Anos...
 

 

2008
Das Origens do Brasil ao Erário Régio


Ministério da Fazenda - 200 Anos
Comemorações do Bicentenário do Ministério da Fazenda - RJ


..Exposição comemorativa dos 200 Anos do Ministério da Fazenda.. Exposição comemorativa dos 200 Anos do Ministério da Fazenda...

 
2005
PARAGUAÇU - Katherine du Brésil



Realizada no MUSEU HISTÓRICO DO EXÉRCITO E FORTE DE COPACABANA, no Rio de Janeiro, durante o ano FRANÇA-BRASIL 2005, homenageando a “primeira família brasileira” e mais antiga raiz genealógica da Casa da Torre de Garcia d'Ávila, no Brasil, ele Diogo Álvares Caramuru e ela a princesa índia Paraguaçu, filha de um cacique tupinambá, batizada em 30 de julho de 1528 em Saint-Malo (França), com o nome cristão de 'Katherine du Brésil' (Catarina do Brasil), tendo como madrinha Catherine des Granches, esposa do Cap. Jaques Cartier – o descobridor do Canadá.

O evento contou com a presença do Comandante do Exército, General-de-Exército Francisco Roberto de Albuquerque, que inaugurou a exposição, após palestra com datashow, no auditório do Museu, proferida pelo historiador e engenheiro Christovão de Avila, assistida por inúmeras autoridades nacionais e estrangeiras e membros do corpo diplomático de diversas nações, que têm vínculos históricos e culturais com Caramuru e a Casa da Torre.

Participaram da Exposição:

 
Link - Museu Histórico do Exército e Forte de Copacabana
 
Link - Colégio Brasileiro de Genealogia
 
 
 
 
...
Museu Histórico do Exército e Forte de Copacabana
...
Colégio Brasileiro de Genealogia
...
Instituto Genealógico da Bahia
...
Instituto Geográfico e Histórico da Bahia
...
Memorial Visconde de Mauá
...
Centro Cultural e de Pesquisas do Castelo da Torre

 

 
2002
Da Ermida da Graça à Igreja de
Nossa Senhora da Glória do Outeiro


Realizada no MUSEU DA IMPERIAL IRMANDADE DE NOSSA SENHORA DA GLÓRIA DO OUTEIRO, no Rio de Janeiro, como parte das comemorações do Sesquicentenário do Falecimento do Visconde da Torre de Garcia d'Ávila (1852/2002), que foi o primeiro Provedor, após a Independência, da Imperial Irmandade.

O evento teve inicio em Salvador, no Estado da Bahia, nos dias em 4 e 5 de dezembro, com uma conferência, no Instituto Geográfico e Histórico da Bahia, proferida por seu descendente direto, o historiador e engenheiro Christóvão Dias de Avila Pires Jr., dono do acervo heráldico exposto e Presidente do Centro Cultural e de Pesquisa do Castelo da Torre, e uma missa solene realizada na Igreja do Convento de São Francisco, onde se encontra o jazigo perpétuo dos Ávilas e Pires e Albuquerque, naquele Estado, terminando no Rio de Janeiro, dia 15 de dezembro, com uma missa solene na Igreja de Nossa Senhora da Glória do Outeiro e inauguração da exposição, no Museu da Imperial Irmandade.

Participaram da Exposição:

Link:  Imperial Irmandade de Nossa Senhora da Glória do Outeiro
...
Link - Colégio Brasileiro de Genealogia
 
Link - Instituto de Geografia e História Militar do Brasil
 
 
 
Link - Museu Histórico do Exército e Forte de Copacabana
 
Imperial Irmandade de N.S. da Glória do Outeiro
..
Colégio Brasileiro de Genealogia
...
Instituto de Geografia e História Militar do Brasil
...
Instituto Geográfico e Histórico da Bahia
...
Instituto Histórico e Geográfico do Rio de Janeiro
...
Museu Histórico do Exército e Forte de Copacabana
...
A.I. d''Héraldique
- Representada pelo Acadêmico Rui Vieira da Cunha

Jornal "Glória do Outeiro" - dez.2002 - da Imperial Irmandade de N.Sra. da Glória do Outeiro.


Foto aérea da Igreja de Nossa Senhora
da Glória do Outeiro - Rio de Janeiro

Imperial Irmandade de
N. Sra. da Glória do Outeiro

Rio de Janeiro


Além de descendentes do Visconde da Torre, estavam representadas ali várias instituições culturais que participaram dos Eventos: o Instituto Geográfico e Histórico da Bahia pela Presidente Sra. Consuelo Pondé de Sena, o Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro pelo Coronel Arivaldo Silveira Fontes, o Instituto de Geografia e História Militar do Brasil pelo Presidente Cel. Luiz Paulo Macedo Carvalho, o Instituto Histórico e Geográfico do Rio de Janeiro pela Presidente Sra. Cibelle Moreira de Ipanema, o Memorial Visconde de Mauá pelo C. I. Comendador
 

Eduardo André Chaves Nedehf, a Académie Internationale d'Héraldique pelo Acadêmico Dr. Rui Vieira da Cunha, o Museu Histórico do Exército e Forte de Copacabana pelo Diretor e Comandante Coronel Valmor Falkemberg Boelhouwer, o Instituto Histórico e Geográfico de Minas Gerais pelo Dr. Wolmar Olímpio Nogueira Borges, o Colégio Brasileiro de Genealogia pelo Presidente Dr. Paulo Carneiro da Cunha e o Instituto Genealógico da Bahia pelo Sr. Victor Hugo Carneiro Lopes.

Dezembro de 2002

Janeiro de 2003
Jornais Glória do Outeiro
Imperial Irmandade de
Nossa Senhora da Glória do Outeiro

Rio de Janeiro, RJ

www.outeirodagloria.org.br

 
1997
Exposição Temática Militar do Armorial Histórico da Casa da Torre de Garcia d'Ávila



Exposição
do Armorial Histórico, realizada em 1997 no MUSEU HISTÓRICO DO EXÉRCITO E FORTE DE COPACABANA, inaugurada oficialmente por S.A.I. Príncipe Dom Pedro de Orleans e Bragança, na presença de várias autoridades civis e militares, e numerosos convidados.. Esta exposição, que teve o apoio técnico da Académie Internationale d'Héraldique, foi visitada pela Comissão para as Comemorações do Quinto Centenário do Descobrimento do Brasil, por inúmeras autoridades nacionais e estrangeiras e por um público de mais de 15.000 (quinze mil) pessoas, recebendo os mais veementes aplausos, sendo depois transferida para o Palácio Duque de Caxias.

Participaram da Exposição:

 
Link - Museu Histórico do Exército e Forte de Copacabana
 
 
 
Museu Histórico do Exército e Forte de Copacabana
Académie Internationale d'Héraldique
Centro Cultural e de Pesquisas do Castelo da Torre
....
....
....


Exposição Temática Militar do Armorial Histórico, no Museu Histórico do Exército


Inauguração da exposição, por Sua Alteza Imperial Príncipe Dom Pedro de Orleans e Bragança, foto ao lado Dr. Rui Vieira da Cunha e Sra., entre o casal Cel Valmor Falkemberg Boelhouwer, diretor do Museu Histórico do Exército e comandante Forte de Copacabana.

 

 

HOMENAGEM
do Armorial Histórico da Casa da Torre de Garcia d'Ávila

 

2008
A Ermida de Nossa Senhora da Graça

Patrimônio do Mosteiro de São Bento da Bahia, com as terras adjacentes, onde se encontra a Praça Catarina Paraguaçu e a Fonte Nossa Senhora da Graça, doações de Catarina Paraguaçu e descendentes, sendo 79o abade o Rvmo. Arquiabade Dom Emanuel d’Able do Amaral, tem o Mosteiro Nossa Senhora da Graça, como capelão Dom Bernardo Lucas.

Tudo começa em 1509, quando Diogo Álvares, o Caramuru, naufragado na costa da Bahia fundou a primeira fixação comprovada do colonizador europeu, denominando-a Vila Velha, no local do atual bairro da Graça, onde, por volta de 1530, ele e Catarina Álvares Paraguaçu construiram a Ermida da Graça primeiro santuário Mariano do Brasil , doada por Catarina, em 1586, ao Mosteiro de São Bento da Cidade do Salvador:

Constituiram eles a primeira família brasileira, documentada, sendo a mais antiga raiz genealógica, no Brasil, da qual descende a Casa da Torre de Garcia d'Ávila.

 
ACERVO: Armorial Histórico da Casa da Torre de Garcia d'Ávila

Associação dos Moradores da Graça - Amograça
É fundador e presidente da Amograça, Flávio Damásio de Paula, também idealizador da Campanha Graça Solidária, a nobre campanha, que visa auxílios para os irmãos carentes, de forma voluntária, completando no ano de 2007 dez anos de atividades, liderada por D. Hortência e Flávio de Paula.

As Homenagens e Agradecimentos, como descendente direto de Diogo e Catarina Álvares Caramuru, no ramo genealógico da Casa da Torre, oferecendo à Amograça um Brasão de Armas, trabalho do heraldista Victor Hugo Carneiro Lopes, incorporado ao Armorial Histórico da Casa da Torre de Garcia d'Ávila.

Rio de Janeiro - RJ, 12.IV.2008, Christovão de Avila


   
 
 
Amograça
Associação dos Moradores da Graça
Congrega os fiéis da comunidade da Graça,
na Igreja de Nossa Senhora da Graça,
fundada por Catarina Paraguaçu, matriarca
do Morgado da Torre.
Salvador, 16-III-2008. V.Hugo C.Lopes
 
Ermida de
Nossa Senhora da Graça
Um dos templos pioneiros do cristianismo
na América. Vinculado à Casa da Torre,
pela sua doação à Ordem de São Bento
em 1586 por Catarina Álvares
matriarca
do Morgado de Tatuapara.
Salvador, 10-VI-1996. V.Hugo C.Lopes
 
ACERVO: Armorial Histórico da Casa da Torre de Garcia d'Ávila
 

............MAIS INFORMAÇÕES:

 
Praça Catarina Paraguaçu
Graça Solidária

...

Christovão de Avila
Christovão de Avila


Presidente do Centro Cultural e de
Pesquisas do Castelo da Torre
Historiador, pesquisador e membro das Instituições:
(ordem alfabética)
Academia de História Militar Terrestre do Bras
il
Colégio Brasileiro de Genealogia
Centro Cultural e de Pesquisas do Castelo da Torre
Instituto Genealógico da Bahia
Instituto de Geografia e História Militar do Brasil
Instituto Geográfico e Histórico da Bahia
Instituto Histórico e Geográfico de Minas Gerais

Instituto Histórico e Geográfico do Rio de Janeiro
Memorial Visconde de Mauá

Sociedade Brasileira de Cartografia
 
 
HERÁLDICA
 

..

Christovão de Avila
www.casadatorre.org.br



..

É permitida e estimulada a reprodução e a divulgação parcial ou integral, do conteúdo da presente Home Page, desde que mencionados os autores e as origens, reservados os direitos dos respectivos autores.

© Copyright 1999

..

TERMO DE ISENÇÃO DE RESPONSABILIDADE

casadatorre.org.br não se responsabiliza pelo conteúdo e oferta de produtos e serviços contidos em qualquer site e/ou loja virtual, a ele conectado.
 
Biografia:

CCPCTorre - Presidente - Biografia