Avila

AVILA - "Esta antiga e nobre família conserva a varonia legítima dos PIRES, a chefia e representação dos AVILAS e mais as representações de DIOGO ALVARES - CARAMURÚ e de sua mulher CATARINA PARAGUAÇU, além do título de VISCONDE DA TORRE DE GARCIA DE AVILA".
-CASTRO, Orlando Guerreiro de. Casa da Torre de Garcia de Avila, Varonia - Chefia - Representação. Rio de Janeiro, junho de 1961. p 4.

Armas da família
Avila do Continente,
uma das raízes da Casa da Torre

Armas do
Visconde da Torre
de Garcia DÁvila

Reprodução de Brasões de Armas, parte do acervo particular do
Armorial Histórico da Casa da Torre de Garcia D'Avila.



O Morgadio da Casa da Torre de Garcia D'Avila

I - GARCIA D'AVILA, fundador da Casa da Torre, chegado ao Brasil na comitiva do 1o Governador Geral Tomé de Souza, em 1549, foi nomeado "feitor e almoxarife da Cidade do Salvador e da Alfândega". Casou-se com Mécia Rodrigues, não tendo sucessão. Com a Índia tupí FRANCISCA RODRIGUES, tiveram - ISABEL DE AVILA, casada em primeiras núpcias com o fidalgo genovês Gil Vicente de Vasconcelos. Falecido o marido, Isabel casou-se com DIOGO DIAS, filho de VICENTE DIAS DE BEJA, Fidalgo da Casa do Infante D. Luiz, natural do Alentejo - Portugal e de sua mulher GENEBRA ÁLVARES, filha de DIOGO E CATARINA ÁLVARES CARAMURÚ. Deste casamento, de Isabel de Avila com Diogo Dias de Beja, nasceu:

II - FRANCISCO DIAS DE AVILA, que usava o nome de FRANCISCO DIAS DE AVILA CARAMURU, Senhor da Torre de Tatuapara, Cavaleiro Fidalgo da Casa Real, que se casou com ANA PEREIRA GAGO, filha de MANOEL PEREIRA GAGO e de sua mulher CATARINA FOGASSA. Tiveram:

III - GARCIA DE AVILA, Capitão de Ordenanças, Senhor da Casa Torre, Cavaleiro Fidalgo da Casa Real, casou-se com sua tia LEONOR PEREIRA. Tiveram:

V - FRANCISCO DIAS DE AVILA, Coronel de Ordenanças da Cidade da Bahia, Senhor da Casa Torre. Cavaleiro Fidalgo da Casa Real, casou-se com sua sobrinha LEONOR PEREIRA MARINHO, filha de sua irmã CATARINA FOGAÇA e de seu marido VASCO MARINHO FALCÃO. Tiveram:

VI - GARCIA DE AVILA PEREIRA, Coronel de Ordenanças da Cidade da Bahia, Senhor da Casa Torre, Cavaleiro Fidalgo da Casa Real, casou-se com sua prima IGNACIA DE ARAUJO PEREIRA, filha do Capitão TOMÉ PEREIRA FALCÃO e de sua mulher IGNACIA ARAUJO. Tiveram:

VII - FRANCISCO DIAS DE AVILA, Mestre de Campo e Coronel de Ordenanças da Cidade da Bahia, Senhor da Casa Torre, Fidalgo da Casa Real. Cavaleiro da Ordem de Cristo, casou-se com CATARINA FRANCISCA CORRÊA DE ARAGÃO VASQUEANES, filha do Coronel FRANCISCO BARRETO DE ARAGÃO e de sua mulher CATHARINA CORRÊA DE SÁ. Tiveram:

VIII - GARCIA DE AVILA PEREIRA DE ARAGÃO, Coronel Mestre de Campo da Torre, professo na Ordem de Cristo, casou-se com ANA TEREZA CAVALCANTI DE ALBUQUERQUE, filha do alcaide-mor da Bahia SALVADOR PIRES DE CARVALHO, não tendo filhos. Casou-se na segunda vez com , filha de CRISTÓVÃO DA ROCHA PITA e  JOSEFA MARIA DA CONCEIÇÃO LIMA, não deixando descendênciaPassou o Morgado à sua sobrinha:

IX - ANA MARIA DE SÃO JOSÉ E ARAGÃO, Senhora da Casa Torre, casada com seu primo o Capitão-mór da Cidade da Bahia e Alcaide-Mór de Maragogipe JOSÉ PIRES DE CARVALHO E ALBUQUERQUE. Era filha do Capitão-mor JOSÉ PIRES DE CARVALHO E ALBUQUERQUE e de sua mulher LEONOR PEREIRA MARINHO. Tiveram:

X - ANTONIO JOAQUIM PIRES DE CARVALHO E ALBUQUERQUE, que usava o nome de Antonio Joaquim Pires de Carvalho e Albuquerque Cavalcanti Machado de Avila Pereira *, Coronel do Regimento de Milícias e Marinha da Torre, Barão e depois Visconde da Torre de Garcia Dávila, com grandeza e último Senhor da Casa Torre, casou-se com sua sobrinha ANNA MARIA DE SÃO JOSÉ E ARAGÃO, filha de seu irmão o Coronel de Linha Brigadeiro Graduado JOAQUIM PIRES DE CARVALHO E ALBUQUERQUE, Visconde de Pirajá e de sua mulher MARIA LUIZA QUEIROZ DE TEIVE E ARGOLO.


FIM DO MORGADIO

Com a morte, a 5 de dezembro de 1852, do Visconde da Torre de Garcia D'Avila - último Senhor e Morgado da Torre -, já extinto o regime de Morgadio no Brasil desde1835, não houve sucessão do Morgado, nem de seus anexos, por não mais existirem os vínculos.




*
"NOMES" do Visconde da Torre de Garcia D'Avila

Antonio Joaquim Pires de Carvalho e Albuquerque” - Nome constante do Decreto Imperial de D. Pedro I, que criou o título de Barão da Torre de Garcia D'Avila, identificado, nobiliarquicamente, como nome "oficial", para titulação, não impedindo que o titular usasse outros nomes de famílias das quais descendia, como era muito comum na época, até como prova para possíveis heranças.

"Antonio Joaquim Pires de Carvalho e Albuquerque Cavalcanti Machado de Avila Pereira" Nome usado largamente pelo Visconde da Torre, identificando e registrando famílias ascendentes, como consta de inúmeros documentos oficiais, como procurações, requerimentos, atestados, registros de propriedades, etc.

"Antonio": Nome constante da Certidão de Batismo

 

Exemplo de alguns DOCUMENTOS OFICIAIS:

1 - ARQUIVO NACIONAL:  

NOTAÇÃO: 118A.009B

Requerente: ARAGÃO, Ana Maria de São José e PEREIRA, Antonio Joaquim Pires de Carvalho e Albuquerque Cavalcante Machado de Avila (Barão da Torre de Garcia D’Ávila) 
Objeto: Autorização de venda de propriedades por procuração
Localização: BA Datas-Limite:  1824-1825

N° de Fls.:  2
Obs.: Fazendas de gados e terrenos em Pernambuco / Ceará / Maranhão - Vide Também o processo 118A.009A
”. 



2 - ARQUIVO NACIONAL:

ATESTADO DE FORO DE FIDALGUIA, passado pelo Visconde da Torre, de próprio punho:

Antonio Joaquim Pires de Carvalho e Albuquerque Cavalcanti Machado de Avila Pereira
, Fidalgo Cavaleiro da C. de S. M. I., Visconde da Torre de Garcia D'Avila, Grande do Império, Gentil Homem da Câmara de S. M., Official da Imperial Ordem de Aviz, Comendador na de Christo, condecorado com a Medalha da Campanha da Bahia, Coronel dos Batalhões da 2a Linha da Torre, .........., atesto ..........
Bahia, 5 de Agosto de 1851.
Visconde da Torre de Garcia D'Avila

(assinado e timbrado, com seu brasão de armas).


3 - ARQUIVO PÚBLICO DA BAHIA:

LIVRO Nº 4636 – TOMBO DA CASA DA TORRE

"Tem este livro duzentas e uma folhas numeradas e rubricadas por mim abaixo assinado para nele se lançarem obrigações que deverão passar todos, os que tomarem de renda ten.... pertencentes ao Morgado da Casa da Torre declarando o nome do Sitio ou Fazenda sua extensão extremas, em qual e ...... em que Capitania e a quantia, que deverão pagar de renda a mesma ...... cuja satisfação obrigarão suas pessoas e bens com toda a Segurança até com fiadores se houver desconfiança advertida que se o Rendeiro houver de tomar de renda mais de um sitio ou fazenda deverá passar de cada uma , obrigação com as mesmas condições da primeira cujas obrigações deverão ser assinadas em presença de duas testemunhas, e com elas o Procurador e a forma porque se devem passar os arrendamentos e obrigações dos rendeiros vão lançados na ultima folha deste livro.
Bahia 24 de Outubro de 1815.
Antonio Joaquim Pires de Carvalho Albuquerque Cavalcante d’Avila Pereira"



4 - CÂMARA ECLESIÁTICA DA BAHIA:

CERTIDÃO DE BATISMO

"Certifico que, revendo um dos livros findos de assentamentos de batizados da Sé, anos de 1782 a 1805, às fls. 150 consta o assentamento do teor seguinte: "Aos doze de fevereiro de mil setecentos e oitenta e cinco, nesta freguesia da Sé Catedral nas casas de vivenda do Capitão-mor Secretário de Estado José Pires de Carvalho e Albuquerque, de licença do Exmo. e Revmo. Sr. Arcebispo e de licença do Revmo. Cura Dr. José Caetano da Costa Nogueira, pôs solenemente os santos óleos o Revmo. Salvador Pires de Carvalho e Albuquerque ao inocente Antonio, filho legítimo do dito Capitão-mor Secretário de Estado José Pires de Carvalho e Albuquerque e de sua mulher D. Ana Maria de São José e Aragão, batizado em perigo de vida pelo mesmo Revdo. Salvador Pires de Carvalho e Albuquerque, assistiram as cerimônias o Revmo. Antonio Pires de Carvalho e Albuquerque e D. Isabel Joaquina de Aragão, por seu procurador José Pires de Carvalho e Albuquerque. Do que fiz este assento em que assinei. (Assinado) o Coadjutor Joaquim Teixeira Lisboa." Nada mais consta. Câmara Eclesiástica da Bahia, 21 de julho de 1941. (Assinado) Moisés Pinto Santos."



NOTA
: A divulgação de outros nomes de famílias, usados pelo Visconde da Torre, fornece importante informação relativa a ascendentes diretos e vinculados à Casa da Torre.


FONTES:
- JABOATÃO, Fr. Antonio de S. Maria. Catálogo Genealógico das principais famílias que procederam de Albuquerques e Cavalcantis em Pernambuco e Caramurús na Bahia. Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, vol.LII e Notas de Pedro Calmon ao Catálogo.

- CALMON, Pedro. Introdução e Notas ao Catálogo Genealógico das principais Famílias, de Frei Antônio de Santa Maria Jaboatão. Salvador, Bahia. Empresa Gráfica da Bahia, 1985. 2v, 809 p.
- SOBRINHO, Bulcão. Famílias Bahianas, vol. I.
- MOYA, Salvador de. Anuário Genealógico Brasileiro - Titulares do Império. Publicações do Instituto Genealógico Brasileiro. São Paulo, 1941 - ANO III. pp 482-502.
- CASTRO, Orlando Guerreiro de. Casa da Torre de Garcia de Avila, Varonia - Chefia - Representação. Rio de Janeiro, junho de 1961. 4 p.
- Livros Tombo da Casa da Torre. Arquivo Público da Bahia.
- Certidões de Cartórios. Diversas.


 



..

Christovão de Avila
www.casadatorre.org.br



..

É permitida e estimulada a reprodução e a divulgação parcial ou integral, do conteúdo da presente Home Page, desde que mencionados os autores e as origens, reservados os direitos dos respectivos autores.

© Copyright 1989-2008

..

TERMO DE ISENÇÃO DE RESPONSABILIDADE

casadatorre.org.br não se responsabiliza pelo conteúdo e oferta de produtos e serviços contidos em qualquer site e/ou loja virtual, a ele conectado.
 
Biografia:

CCPCTorre - Presidente - Biografia